Comissão de Controle de Infecção Hospitalar

A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) é um órgão deliberativo que tem por finalidade a definição de ações que visem ao controle e à prevenção de infecções hospitalares. É regulamentada pela Portaria MS 2616/98, a qual define as ações de controle de infecção hospitalar no país.

Realiza a observação ativa, sistemática e contínua da ocorrência das infecções hospitalares e de sua distribuição entre pacientes, hospitalizados ou não, e dos eventos e condições que afetam o risco de sua ocorrência, com vistas à execução oportuna das ações de prevenção e controle.

  • • Diariamente - Busca Ativa – todos os prontuários são investigados visando a investigação de possíveis alterações do comportamento epidemiológico.
  • • Mensalmente - Levantamento de Taxa de Infecção Hospitalar (TIH), Taxa de Pacientes com Infecção Hospitalar (PTIH), a Distribuição das Infecções Hospitalares por localização topográfica no paciente, a Taxa de Infecções Hospitalares por Procedimento, calculada tendo como numerador o número de pacientes submetidos a um procedimento (sitio cirúrgico, cateterismo vesical, entubação orotraquel, cateterismo venosos profundo), Infecções Hospitalares por Microrganismos, Coeficiente de Sensibilidade aos Antimicrobiano, elaborar relatório com os indicadores epidemiológicos interpretados e analisados, divulgando-o à comunidade hospitalar.
  • • Semestralmente – envio de relatório às Coordenações (Estadual / Municipal).
  • • Surtos – investigar os casos, sempre que indicado, e implantar medidas imediatas de controle.

Realiza a adequação, implementação e supervisão das normas e rotinas técnico-operacionais, visando a prevenção e controle das infecções hospitalares e a capacitação do quadro de funcionários e profissionais da instituição, no que diz respeito à prevenção e controle das infecções hospitalares.

Monitora e o orienta o uso racional de antimicrobianos, saneantes, materiais médico-hospitalares, controle de pragas e limpeza de caixas d’água e condicionadores de ar.

Além disso, também tem a função de elaborar, implantar e supervisionar a aplicação de normas e rotinas técnico-operacionais, visando limitar a disseminação de agentes presentes nas infecções em curso no hospital.